19.11.11




Manhã sonolenta.
O enredo da vida, cedo
o dia reinventa.

Arthur Francisco Baptista

Nenhum comentário: