12.5.10




Uma folha morta.
Um galho no céu grisalho.
Fecho a minha porta.

Guilherme de Almeida

Nenhum comentário: