14.4.10




À beira da estrada
Com o pêlo tão sedoso
O cachorro morto.

Paulo Franchetti

Nenhum comentário: