24.7.09



Quebrando o silêncio
de um entardecer monótono,
trinado no bosque.

Alberto Murata